No início deste ano, um cachorrinho da raça labrador foi resgatado de uma fazenda de carne canina na Coreia do Sul, onde seria abatido para consumo, infelizmente legal, no país asiático. A mesma jovem que o resgatou decidiu adotá-lo no abrigo dias depois.

Estamos falando de Annie Ko, que é cantora e trabalha voluntariamente nas horas vagas na ONG Humane Society International. Recentemente, a entidade sem fins lucrativos realizou um audacioso resgate em uma fazenda de carne de cachorro, incluindo a invasão e fechamento da propriedade.

Annie participou da incursão e, sensibilizada com a situação de um dos animais, resolveu adotá-lo.

Quando chegaram à fazenda, os voluntários encontraram mais de 100 cães amontoados em gaiolas de arame. Semelhante a como as fazendas de carne de vaca e de porco são nos EUA, as fazendas de carne de cachorro sul-coreanas costumam abrigar seus animais em condições desumanas.

Enquanto a maioria dos animais que acabam em uma fazenda de carne não tem uma segunda chance, alguns poucos muito sortudos vivem para ver uma vida além da próxima refeição de um ser humano. Felizmente para os cães desta fazenda em particular, eles puderam ser resgatados e colocados em lares amorosos.

Fechar uma fazenda de carne canina irregular (atuando alheia à autorização do estado) é o primeiro passo para acabar com a dor e o sofrimento desses animais, e pessoas como Annie e os outros voluntários compreendem como isso pode acontecer.

No entanto, Annie Ko levou seu ativismo um passo adiante e decidiu abrir sua casa e seu coração para um dos cães resgatados da fazenda.

Infelizmente, muitos desses animais são libertados das fazendas de carne, apenas para descobrir que eles não têm nenhum outro lugar para ir. Isso causa uma série de problemas e, sem adotantes dispostos, é provável que muitos dos animais resgatados sejam colocados na fila da eutanásia.

Annie não planejava adotar um cachorro, especialmente um cachorro resgatado de uma fazenda de criação. No entanto, quando ela viu o cachorrinho aninhado nos braços de sua amiga, ela não pôde deixar de se apaixonar por ele!

A jovem batizou o doguinho de ‘DeeJay’ e agora são melhores amigos. Um merecido final feliz para um animal que já sofreu tanto

 

 

Um post-relato tocante compartilhado na última terça-feira (23) pela lojista Eliane Coelho, de Bicas (MG), viralizou nas redes sociais e inspirou centenas de internautas a se unirem em prol de uma causa.

Na publicação, Eliane contou que uma moça chegou em sua loja chorando desesperada, pedindo ajuda. “Estava chorando muito […], ela resgatou de dentro do córrego da cidade 3 cachorrinhos machos. Alguém covardemente jogou elas lá para morrerem 😔”, lamentou.

Segundo a lojista, a moça não tem condições de ficar com os animais pois vive em uma condição financeira muito delicada. “Ela precisa de ajuda. A moça mora ali no antigo ‘pó de pedra, na rua Melo Viana. Gente, por favor, vamos arrumar um lar para os cachorrinhos”, conclamou Eliane.

Em questão de horas, mais de 2 mil internautas compartilharam sua publicação e movimentaram as redes sociais, muitos em tom de revolta:

Hoje, nossa legislação prevê pena de três meses a um ano de detenção para quem pratica maus-tratos contra animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. O abandono está incluso na jurisprudência e também é considerado crime. Denuncie!